ELIANE MEZARI

ARTISTA VISUAL, PSICÓLOGA CLÍNICA E PERFORMER

Eliane Bertão Mezari reside em Manaus, Brasil desde 1989.  Tem como foco a pintura, desenho, fotografia conceitual, escultura e instalação. Realizou exposições individuais, participou de várias coletivas. Expôs em Nova York, Suíça, Itália e outros países da Europa Central. também em Dubai onde foi premiada em 2018.

A sua arte se expande em experiências com a escrita de crônicas e reflexões, desenho de moda, projetos de móveis e maquiagem artística. No decorrer dos anos, houveram momentos de hiato em suas produções artísticas pela dedicação à Psicologia. A arte latente foi retomada em 2014 com toda força e amor.

Eliane Mezari em essência Experimentalista, alcança o Expressionismo Abstrato em suas obras, por expressar em síntese os sentimentos humanos e percepções filofóficas, fazendo um “lïnk” com a psicologia.

Quando se pensa no ID, logo vem à mente toda uma teoria psicanalítica que relaciona essa estrutura do aparelho psíquico a instintos, impulsos desmedidos de toda a ordem, do alimentar ao sexual, e desejos inconscientes. Trata-se de uma busca pelo prazer sem freios, que seria domada por outras instâncias de nossa psique.

Intitulado “Psico – ID”, o trabalho pintado em tinta acrílica sobre tela de Eliane Mezari tem como um de seus mais marcantes elementos visuais o fato de apresentar ao observador apenas um olho. As compulsões regidas pelo ID teriam essa característica de serem como os ciclopes do mito grego, forças da natureza condenadas a avaliar tudo de maneira monocular.

Daí sua agressividade e incapacidade para o diálogo. A predominância de cores quentes da tela aponta para um movimento de dentro para fora, em que a expressão ganha o espaço com ilimitada força, em um processo de expansão de energia que não pode ser visto como algo inteiramente condenável, já que muito de nossa força motora vem dessa raiz.

O ID aponta para viver intensamente cada instante, mas reduz ou praticamente elimina a capacidade de conversar ou de aceitar frustrações. A obra visual de Eliane Nezari traz essa complementaridade conceitual, pois manifesta um perfil do ID que, para ser construído passou por outras estruturas mentais que tornam nossas personas fascinantes e misteriosas.

Oscar D'Ambrosio

jornalista pela USP, mestre em Artes Visuais, graduado em Letras e doutor em Educação, Arte e História da Cultura e gerente de comunicação e Marketing da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo